Avatar Wiki
Advertisement
Emblema da Dobra de Água.pngEmblema da Tribo da Água.png


Hama foi uma mestre de dobra de água da Tribo da Água do Sul. Ela foi a última a ser capturada e aprisionada pela Nação do Fogo durante os ataques à Tribo da Água do Sul, mas escapou usando dobra de sangue, uma técnica de dobra de água que ela desenvolveu enquanto estava encarcerada. Após sua fuga, ela fugiu para uma pequena cidade na Nação do Fogo, onde se tornou uma estalajadeira. A cada lua cheia, Hama se vingava da Nação do Fogo aprisionando os aldeões de sua cidade em uma caverna na montanha.[1]

História[]

Início da vida[]

Hama inicialmente vivia na Tribo da Água do Sul.

Em sua juventude, Hama era amiga íntima de Kanna, a avó de Sokka e Katara.[2] Por anos, Hama foi uma dos muitos dobradores de água que residiam na Tribo da Água do Sul; no entanto, quando ela era uma jovem adulta, a Nação do Fogo começou a invadir a Tribo da Água do Sul e sistematicamente enfraqueceu suas defesas ao capturar dobradores de água por meio de ataques de bater e correr. Hama e seus companheiros dobradores de água fizeram tudo o que puderam para resistir ao exército de dobra de fogo e até conseguiram congelar pelo menos um navio suspendendo-o no gelo. No entanto, com a continuação dos ataques, mais e mais dobradores de água foram capturados, até que Hama foi a última dobradora de água restante na Tribo do Sul. Ela finalmente se rendeu e foi levada em correntes para ser transportada de volta para a Nação do Fogo para ser presa.[1]

Descobrindo a Dobra de Sangue[]

Hama desenvolveu a dobra de sangue praticando em ratos elefantes.

Enquanto estava presa, ela e os outros dobradores de água foram enjaulados e separados um do outro. A Nação do Fogo garantiu que os dobradores de água não pudessem usar a água para escapar; a prisão mantinha a umidade no mínimo para que a água não pudesse ser puxada do ar, e os membros dos dobradores de água eram acorrentados sempre que recebiam água. No entanto, a cada mês Hama podia sentir o poder da lua cheia e sabia que deveria haver uma maneira de escapar. Depois de mantida em cativeiro e torturada por décadas,[3] ela percebeu que, como a água existe dentro de todos os seres vivos, ela poderia controlá-los dobrando a água dentro de seus corpos e escapar. Somente durante a lua cheia, quando sua dobra estava no auge, Hama conseguiu manipular a água nos corpos dos ratos elefantes em sua cela e, após muitos anos de prática, dominou essa habilidade, a qual nomeou de dobra de sangue. Na noite de sua fuga, Hama usou dobra de sangue para controlar um dos guardas da prisão designados para mantê-la trancada e o forçou a destrancar sua jaula, permitindo que ela escapasse da prisão.

Hama mais tarde se mudou para uma pequena aldeia da Nação do Fogo, tornando-se a dona de uma modesta estalagem. Consumida por um desejo de vingança pelo tratamento severo que ela e seus companheiros dominadores de água tiveram que suportar na prisão, ela começou a usar suas habilidades de dobra de sangue para sequestrar os moradores da Nação do Fogo a cada lua cheia, forçando-os a subir uma montanha onde ela os aprisionou em uma caverna. Em uma dessas noites, Hama dobrou o sangue de Ding e o forçou a caminhar em direção a sua prisão na montanha. Antes que ela pudesse prendê-lo na caverna, entretanto, o sol começou a nascer, quebrando seu controle sobre o homem, e ele escapou.[1]

Conhecendo outra dobradora de água[]

Décadas após sua fuga da prisão da Nação do Fogo, Hama encontrou a Equipe Avatar acampando na floresta perto da aldeia onde ela morava. Ela ouviu Katara contar uma história sobre Nini, uma garota da Tribo da Água do Sul que desapareceu misteriosamente em uma tempestade de inverno, e foi conhecer a equipe. A estalajadeira os convidou para ficar em sua estalagem, avisando-os de que a floresta em que estavam acampados não era segura porque as pessoas tinham desaparecido misteriosamente durante a lua cheia. O grupo aceitou com gratidão seu convite sem qualquer ceticismo do verdadeiro envolvimento de Hama nos desaparecimentos.

Na manhã seguinte, Hama e o resto da Equipe Avatar foram buscar alguns suprimentos em uma cidade próxima; enquanto Katara e Hama se davam bem, Sokka começou a questionar o comportamento estranho de Hama. Logo depois, Hama encontrou o grupo bisbilhotando sua casa e, para domar suas suspeitas, ela mostrou a eles um pente da Tribo da Água, revelando ao grupo que ela era uma dobradora de água da Tribo da Água do Sul, mas que havia sido capturada durante uma invasão e colocada em uma prisão da qual ela finalmente escapou. No entanto, ela não revelou a natureza exata da fuga, alegando que foi muito doloroso. Ela se ofereceu para ensinar a Katara tudo o que ela sabia, a fim de continuar a tradição de dobra de água do sul, com a qual Katara concordou ansiosamente em aprender mais sobre a herança cultural da sua tribo.

Hama treinou Katara no estilo de dobra de água do Sul.

No dia seguinte, Hama ensinou a Katara uma série de técnicas para a obtenção de água em locais desprovidos de quaisquer fontes de água óbvias. Ela primeiro demonstrou a capacidade de extrair água do ar e aconselhou Katara a manter a mente aberta e perceber que havia água em lugares inesperados. Posteriormente, ela levou Katara a um campo de lírios de fogo e disse-lhe que a água poderia até ser extraída de seres vivos, e ela demonstrou isso colhendo a água das flores ao redor das duas e usando-a para cortar uma pedra. Embora Katara tenha ficado maravilhada com a demonstração, ela lamentou que os lírios de fogo tenham sido destruídos no processo. Hama descartou suas preocupações rapidamente, dizendo-lhe que eram simplesmente flores e que um dobrador de água em um país estrangeiro tinha que fazer o que fosse necessário para sobreviver. Após sua demonstração, Hama se ofereceu para ensinar a Katara uma técnica poderosa que só era possível durante a lua cheia. Quando Katara expressou hesitação devido aos rumores de desaparecimentos, Hama lhe assegurou que duas mestras dominadores de água sob a lua cheia não teriam com o que se preocupar.

Hama dobrou o sangue de Aang e Sokka sob a lua cheia.

Naquela noite, Hama levou Katara para a floresta próxima e contou a ela sobre a dobra de sangue e sua capacidade de controlar outro organismo vivo. Horrorizada com a ideia de controlar o corpo de outra pessoa, Katara se recusou a aprender a dobra de sangue. Hama argumentou com ela, afirmando que não importava se ela queria aprender ou não, porque o poder de usá-la existia de qualquer maneira. Por tentar exterminar toda a sua cultura, Hama exaltou que elas deveriam se vingar da Nação do Fogo. Essa explosão levou Katara a perceber que Hama estava causando o desaparecimento dos moradores, mas a estalajadeira disse com raiva que o povo da Nação do Fogo merecia o mesmo tratamento que haviam dado a ela e aos outros dobradores de água do sul. Ouvir isso fez com que Katara se recusasse terminantemente a aprender dobra de sangue, acrescentando que ela não permitiria que Hama aterrorizasse ainda mais a cidade.

Com sua identidade exposta, Hama usou dobra de sangue contra Katara para forçá-la temporariamente à submissão. No entanto, Katara rapidamente recuperou o controle de seu corpo depois de se acalmar e disse a Hama que, como a dominação dela era mais poderosa que a de Hama, a técnica de dobra de sangue era inútil contra ela. As duas começaram a lutar, cada uma tirando água da grama, das árvores e do ar. Enquanto Katara estava prestes a vencer o duelo, Aang e Sokka chegaram, tendo descoberto a verdadeira identidade de Hama. Hama usou a dobra de sangue para forçá-los a atacar Katara e, depois que Katara conseguiu escapar de seus ataques, forçou Sokka a levantar sua espada para apunhalar Aang. Antes que ela pudesse colocar os dois um contra o outro, Katara usou a dobra de sangue para subjugar Hama a fim de proteger seu amigo. Toph Beifong chegou com os moradores que ela havia libertado da prisão de Hama nas montanhas, que algemaram Hama e a levaram embora, jurando prendê-la para sempre. Hama não resistiu sua prisão e comentou que seu trabalho estava feito, pois Katara já era uma dominadora de sangue. Ela riu loucamente enquanto era arrastada, deixando Katara em lágrimas.[1]

Personalidade[]

Hama regularmente escondia sua raiva profunda por trás de um sorriso gentil.

Para as pessoas ao seu redor, Hama se apresentou como uma velha gentil, possuindo uma personalidade afetuosa e maternal, que acabou conquistando a confiança de Katara. Determinada e obstinada, Hama lutou persistentemente para afastar a Nação do Fogo durante os ataques a Tribo da Água do Sul. No entanto, sua prisão e subsequente mau tratamento nas mãos da Nação do Fogo trouxe à tona um lado muito mais sombrio e instável de Hama, alimentando sua crença de que ela tinha que fazer tudo para sobreviver, não importava o custo. Sua descoberta de dobra de sangue a levou a se tornar sedenta por poder e radicalmente direcionada para se vingar da Nação do Fogo sempre que possível, mesmo que isso significasse prejudicar aldeões inocentes. Por muito tempo guardando rancor, ela retaliou ativamente contra a Nação do Fogo, prendendo os moradores locais como uma forma de punir a Nação do Fogo pela devastação que eles trouxeram sobre a Tribo da Água do Sul. Ela revelou um lado cruel dela, não mostrando misericórdia com os cidadãos aleatórios da Nação do Fogo ou até mesmo com Katara, a quem ela voluntariamente usou dobra de sangue.

Quando ela conheceu Katara, ela queria passar o estilo da Tribo da Água do Sul para que não morresse junto com ela, assim como sua própria invenção de dobra de sangue, afirmando que Katara "deve continuar [sua] tradição". Ela era uma professora encorajadora, se não um pouco imersa em instruir Katara. No entanto, seu verdadeiro objetivo era garantir que a dobra de sangue não morresse com ela e que Katara a usasse pelo mesmo motivo que Hama fez: para se vingar da Nação do Fogo em nome da Tribo da Água do Sul.[1]

Habilidades[]

Dobra de Água[]

Hama era capaz de extrair água a partir do ar.

Hama era um dobradora de água poderosa e, junto com Katara, foi uma dos poucos dobradores de água vivos da Tribo da Água do Sul durante a Guerra dos Cem Anos. Ela também era a única mestre remanescente do Estilo do Sul até que ela passou seu conhecimento para Katara. Sua destreza era de tal padrão que ela foi capaz de resistir a prisão da Nação do Fogo durante os ataques da Tribo da Água do Sul por mais tempo do que qualquer outro dobrador de água.

Hama era proficiente, criativa e engenhosa o suficiente para manipular e extrair água da grama, flores e até mesmo árvores para aumentar sua dobra em combate ou para outros fins. Ela poderia até mesmo puxar a água do ar, tornando-a uma oponente formidável. Essa desenvoltura permitiu que ela usasse a dobra de água mesmo quando privada de uma fonte de água óbvia e significativa.

Dobra de Sangue[]

Tendo passado anos com o único objetivo de aperfeiçoar esta arte, Hama tornou-se altamente hábil em dobra de sangue, uma técnica que lhe permitiu manipular a água nos corpos de outras criaturas durante a lua cheia, dando-lhe efetivamente controle sobre as ações de seu alvo. Hama era habilidosa o suficiente em seu uso para controlar simultaneamente Aang e Sokka com grande sutileza.

Outras habilidades[]

Hama foi uma professora competente, transmitindo todo o conhecimento do estilo do sul de dobra de água para Katara em um curto período de tempo, embora Katara já fosse uma mestra em seu próprio estilo. Hama também provou ser uma atriz habilidosa, escondendo seu rancor contra seus vizinhos da Nação do Fogo enquanto ela decretava sua vingança sobre eles um por um, até mesmo disfarçando suas intenções sombrias de Toph, que é capaz de detectar mentiras. Depois de escapar da prisão, ela se escondeu e afastou as suspeitas com sucesso, fixando residência em uma pequena cidade como estalajadeira. Ela também sabia fazer a culinária tradicional da Tribo da Água do Sul, como sopa de cinco sabores e ameixas do mar cozidas.

Aparições[]

Avatar: A Lenda de Aang[]

Livro Três: Fogo (火)[]

Trívia[]

  • O nome "Hama" é semelhante a palavra grega haima (αίμα), que significa "sangue", o que é apropriado porque Hama foi a inventora da dobra de sangue.
  • Hama é semelhante a Jato na medida em que ambos sofreram uma experiência traumatizante, como resultado das ações da Nação do Fogo, consequentemente desenvolveram um ódio intenso em direção a todos os cidadãos da Nação do Fogo. Ambos ganharam o respeito e a confiança de Katara antes que ela descobrir que as suas ideias em matéria de justiça e foram derrotados por ela.
  • Hama foi um dos poucos membros da Tribo da Água a não ter olhos azuis, já que os dela eram cinza.
  • Hama parecia ter um tom de pele claro, o que é incomum, já que a maioria das pessoas da Tribo da Água tem um tom de pele bronzeado.
  • Hama foi brevemente mencionada por Kanna na adaptação do filme, O Último Mestre do Ar, como sendo a última dobradora de água no Polo Sul até que a Nação do Fogo viesse e a levasse.
  • Hama foi a primeiro vilã em qualquer série a pertencer à Tribo da Água, mas foi a única conhecida a pertencer à Tribo da Água do Sul.
  • Hama foi a primeira dobradora de água conhecida que dobrou sangue em qualquer série, a segunda foi Katara no Livro Três, e os outros três foram Amon, Tarrlok e Yakone em A Lenda de Korra.
  • As marionetes que Sokka encontrou quando estava bisbilhotando a estalagem de Hama foram feitas por ela para parecerem seus prisioneiros.
  • Hama é a primeira dobradora de água conhecida a se disfarçar como uma simples cidadã da Nação do Fogo. No entanto, ao contrário de Katara, a segunda dobradora de água conhecida a fazê-lo, Hama não mudou seu estilo de cabelo para um coque samurai, mas apenas adicionou um acessório de cabeça da Nação do Fogo.
  • O navio da Nação do Fogo que Hama congelou é o mesmo que Aang e Katara embarcariam depois de andar de trenó pinguim.[4]

Referências[]

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 A Manipuladora de Fantoches. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 8. Nickelodeon. (9 de novembro de 2007). Tim Hedrick (roteirista) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  2. Avatar: A Lenda de Aang — A Arte da Série Animada, página 147
  3. Do antigo site oficial de Avatar: A Lenda de Aang, originalmente em Nick.com. Em inglês; já não mais atualizado, nem disponível. Enciclopédia arquivada em aqui. The Lost Lore of Avatar Aang - Character: Hama.
  4. O Garoto no Iceberg. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 1. (21 de fevereiro de 2005). Nickelodeon. Michael Dante DiMartino, Bryan Konietzko (roteiristas) & Dave Filoni (diretor).
Advertisement