Avatar Wiki
Advertisement
Este artigo é sobre o evento. Para os episódios, veja "A Rocha Fervente - Parte 1" e "A Rocha Fervente - Parte 2". Para a localização, veja Rocha Fervente. Para outros usos semelhantes, veja Fuga (desambiguação).

A fuga de Rocha Fervente foi uma das batalhas finais da Guerra dos Cem Anos e um dos últimos eventos antes da chegada do Cometa de Sozin.[1] Embora o engajamento tenha sido estrategicamente menor, ele teve um efeito na história, já que as implicações da fuga foram desastrosas para a Nação do Fogo. A infiltração e subsequente fuga foram realizadas por membros seletos da Equipe Avatar e duraram cerca de dois dias, com a primeira tentativa de fuga sem sucesso.[2]

O conflito resultou em uma vitória para a Equipe Avatar, que não sofreu derrotas e levou Suki a se juntar ao grupo. A fuga também resultou na Princesa Azula sendo traída por suas duas melhores amigas, Mai e Ty Lee, levando assim, entre outras coisas, ao seu colapso mental. Foi a primeira tentativa de fuga bem-sucedida da prisão de segurança máxima mais avançada da Nação do Fogo.[3]

História[]

Nos estágios finais da guerra, o Senhor do Fogo Ozai ordenou a construção da Rocha Fervente para aprisionar traidores e outros inimigos da Nação do Fogo. A prisão tinha a mais avançada tecnologia penitenciária da Nação do Fogo. A prisão logo foi considerada inexpugnável, pois todas as tentativas de fuga foram malsucedidas.

Algum tempo antes do golpe de Ba Sing Se, Suki e as outras Guerreiras Kyoshi foram derrotadas e capturadas pela Princesa Azula e suas amigas Mai e Ty Lee.[4] Suki, sendo a líder, foi separada do resto das guerreiras e enviada para a prisão de Rocha Fervente.[2]

No Dia do Sol Negro, uma pequena força de invasão, liderada pelo Chefe da Tribo da Água do Sul, Hakoda, atacou a Capital da Nação do Fogo na esperança de terminar a guerra.[5] Isso resultou em um fracasso e na derrota de toda a força invasora. A Equipe Avatar conseguiu escapar para o Templo do Ar do Oeste, mas os adultos da força de invasão foram feitos prisioneiros.[6] A derrota pesou muito na mente de Sokka, pois ele sentia que a derrota e a prisão de seu pai eram devidas a seus erros.[2]

Prelúdio[]

Depois que Zuko se juntou à Equipe Avatar no Templo do Ar do Oeste, Sokka perguntou a ele onde ele achava que seu pai e o resto dos guerreiros estavam presos. Zuko suspeitou imediatamente do propósito de Sokka ao fazer essa pergunta. Ele adivinhou que eles foram levados para Rocha Fervente e disse a Sokka que a prisão era completamente inexpugnável. Em uma tentativa desesperada de evitar suspeitas, Sokka afirmou que queria apenas informações e nada mais.[2]

Naquela noite, Sokka tentou sair silenciosamente no Appa, mas foi pego pelas suspeitas de Zuko. Depois de algumas discussões, Zuko decidiu acompanhar Sokka, os dois viajando para a prisão no balão de guerra de Zuko. Após um dia de viagem, os dois chegaram à prisão.[2]

Fuga[]

Infiltração[]

Quando Zuko e Sokka entraram na área acima do lago fervente, o balão deles caiu na costa da ilha. Para garantir que ninguém suspeitasse de sua presença, eles foram obrigados a afundar seu balão no lago e se infiltraram na prisão disfarçados de guardas prisionais.

Enquanto Zuko questionava os outros guardas da prisão sobre se Rocha Fervente mantinha prisioneiros de guerra, Sokka foi chamado ao pátio da prisão como reserva para ajudar na briga. No pátio da prisão, um dos guardas estava intimidando um prisioneiro, Chit Sang, porque ele não se curvou respeitosamente a ele. Enquanto Chit Sang estava indo embora, o guarda valentão lançou um chicote de fogo nele, obrigando Chit Sang a redirecioná-lo de volta para ele. O guarda valentão posteriormente declarou que dobrar fogo era proibido e, ao ver Sokka, pediu sua ajuda para levar Chit Sang para a geladeira. Sem escolha, Sokka foi forçado a cooperar.

Zuko e Sokka como guardas

Zuko e Sokka se disfarçaram de guardas da prisão.

Sokka observou com desconforto enquanto Chit Sang estremecia na geladeira, mas o guarda valentão ignorou sua preocupação. O diretor logo chegou para assediar Chit Sang, afirmando que ele não deveria ter tentado escapar. Chit Sang negou essa afirmação, mas o diretor o ignorou e disse-lhe friamente para continuar sofrendo sua punição. Mais tarde, Zuko informou a Sokka que havia descoberto que não havia prisioneiros da Tribo da Água. Sokka ficou perturbado ao ouvir isso; no entanto, quando toda esperança parecia perdida, ele viu seu interesse amoroso, Suki, voltando para a cela dela.

Sokka entrou furtivamente na cela de Suki logo depois, com Zuko montando guarda perto da porta. Suki momentaneamente julgou mal Sokka por um guarda prisional de verdade; entretanto, ao reconhecê-lo, os dois se abraçaram e se beijaram. Sua reunião foi interrompida quando uma guarda tentou entrar na cela de Suki. Para evitar que Sokka fosse exposto, Zuko atacou a guarda, permitindo que Sokka escapulisse da cela. Quando a guarda viu Sokka, no entanto, ela ordenou que ele prendesse Zuko. Incapaz de objetar, Sokka foi forçado a fazê-lo.

Zuko logo foi interrogado pelo diretor, que, para surpresa de Zuko, percebeu sua identidade e revelou que ele era tio de Mai. Mais tarde, Sokka, Suki e Zuko se reuniram para planejar uma tentativa de fuga. Chit Sang ouviu a discussão e disse-lhes que, a menos que o incluíssem, ele informaria o diretor. Sem qualquer outra opção, eles deixaram Chit Sang entrar no plano.[2]

Primeira tentativa de fuga[]

Logo Sokka apareceu com um bom plano de fuga, para desmontar a geladeira em que Chit Sang estava e usá-la como um barco para escapar. Para fazer o plano funcionar, Zuko e Chit Sang fingiram lutar, e Zuko disparou contra Chit Sang. Os guardas caíram na farsa e, como Sokka previu, jogaram Zuko exatamente na mesma geladeira que Chit Sang estava antes.

Enquanto estava na geladeira, Zuko usou seu hálito de fogo para se manter aquecido e destrancou toda a geladeira. Sokka logo o deixou sair, mas antes que pudessem escapar, Zuko e Sokka ouviram alguns guardas falando sobre os recém-chegados à prisão, incluindo prisioneiros de guerra. Zuko e Sokka perceberam que um deles podia ser Hakoda, o que deixou Sokka perturbado se ele ficaria ou escaparia.

Chit Sang capturado

A primeira tentativa de fuga resultou em fracasso.

Naquela noite, Sokka e Zuko finalmente chegaram com a geladeira, e Chit Sang disse a eles que também decidiu trazer sua namorada e melhor amigo junto. Antes que eles pudessem partir, no entanto, Sokka chegou à conclusão repentina de que ele deveria ficar na prisão, pois havia uma chance de ele encontrar seu pai. Zuko disse a Sokka que ficaria com ele, e embora Sokka insistisse para que Suki fosse embora para mantê-la segura, Suki recusou e disse que não iria embora sem ele. Chit Sang, no entanto, saltou ansiosamente para a geladeira. Percebendo que haviam perdido a chance de escapar, Sokka, Zuko e Suki se esgueiraram de volta para a prisão.

Enquanto isso, Chit Sang tentava mover a geladeira mais rápido, arrancando um pedaço da lateral para usá-lo como remo. No processo de fazer isso, ele acidentalmente se queimou, fazendo-o gritar muito alto. Os guardas o ouviram, e a geladeira foi logo arpoada e arrastada de volta para a prisão.

Enquanto Chit Sang era capturado, Sokka, Zuko e Suki observavam os recém-chegados deixarem a gôndola. A gôndola parecia estar vazia depois que a maioria dos prisioneiros saiu dela, e Sokka se sentiu perturbado e chateado ao perceber que havia cometido um grande erro. No entanto, para a alegria de Sokka, Hakoda saiu da gôndola.[2]

Segunda tentativa de fuga[]

Ao amanhecer, o diretor foi saudar os novos prisioneiros. Disse-lhes que, desde que o obedecessem, seriam tratados com justiça. Quando o diretor passou por Hakoda, ele ordenou que ele olhasse nos olhos dele, mas Hakoda recusou. Se divertindo, o diretor o empurrou no chão. Ele disse a Hakoda que sabe exatamente quem ele é, e que perderia sua força de vontade depois de algum tempo na prisão. Hakoda finalmente o olhou nos olhos. Satisfeito, o diretor foi embora, mas Hakoda o fez tropeçar com suas algemas. Zangado, o diretor ordenou aos guardas que tirassem os prisioneiros de sua vista.

Mais tarde, Sokka foi até a cela de Hakoda para cumprimentá-lo. Hakoda, assim como Suki, ameaçou dar um soco em Sokka, mas Sokka revelou sua identidade antes que Hakoda pudesse machucá-lo. Hakoda e Sokka se abraçaram e imediatamente começaram a pensar em um bom plano de fuga.

Suki captura o diretor de Rocha Fervente

Suki capturou o diretor.

Enquanto isso, o diretor interrogou Chit Sang sobre quem pensou em seu plano de fuga. Chit Sang recusou-se a falar, mas o diretor o torturou fazendo com que seus guarda-costas segurassem a cabeça de Chit Sang de cabeça para baixo. Chit Sang acabou confessando que era alguém disfarçado de guarda prisional. O diretor deu um tapinha condescendente em sua cabeça e saiu da cela para prender o impostor.

Sokka mais tarde se esgueirou pela cela de Zuko para lhe contar o plano. Dois guardas vieram, no entanto, e afirmaram que tinham ordens diretas do diretor para transportar Zuko para a sala de interrogatório. Sokka pediu aos guardas por dez segundos para "agredir Zuko". Os guardas deram-lhe dez segundos e Sokka disse a Zuko para encontrá-lo no pátio enquanto socava um travesseiro. Os guardas posteriormente transportaram Zuko para a sala de interrogatório. Em vez de encontrar o diretor, Zuko, confuso, encontrou Mai esperando por ele.

Sokka logo se esgueirou para dentro da cela de Suki para lhe contar o plano, para comandar a gôndola distraindo os guardas com uma rebelião na prisão e usar o diretor como um refém. Suki estava duvidosa e preocupada, mas Sokka lhe garantiu que funcionaria.

Quando Sokka deixou a cela de Suki, ele foi encontrado por dois guardas e levado para o pátio, onde o diretor tentou fazer com que Chit Sang mostrasse a ele o impostor por meio de um alinhamento. Em vez de Sokka, Chit Sang apontou para o guarda que o intimidou. Satisfeito, o diretor prendeu o guarda para interrogá-lo. Para a surpresa do diretor, seu interrogatório foi logo interrompido pela Princesa Azula e Ty Lee. Azula disse ao diretor que o guarda não era o impostor, e foi embora.

Mais tarde, Sokka tentou enganar um guarda para que deixasse os prisioneiros sair, dizendo que tinha ordens diretas do diretor. O guarda, hesitantemente, deixou os prisioneiros saírem, embora estivessem trancados. Sokka, Suki e Hakoda subsequentemente entraram no pátio da prisão, onde Hakoda tentou iniciar uma rebelião na prisão, embora sem sucesso. Naquele momento, Chit Sang apareceu e disse a Sokka que sua generosidade em não delatá-lo ao diretor tinha um preço e que ele queria fugir com eles. Sokka perguntou se ele poderia começar uma rebelião, e Chit Sang fez exatamente isso gritando: "Ei, rebelião!"

Na sala de interrogatório, Mai repreendeu Zuko com raiva por deixá-la, e Zuko argumentou que era sobre a Nação do Fogo, não ela. Mai disse-lhe sarcasticamente que se sentia melhor. Zuko tentou dizer a ela que nunca pretendia machucá-la, mas foi em vão. Naquele momento, um guarda entrou na cela com a ordem de proteger Mai por causa da rebelião. Zuko viu sua oportunidade, disparou contra o guarda, escapou e trancou Mai e o guarda na cela. Ele rapidamente fez seu caminho para o pátio e logo se encontrou com todos os outros.

Enquanto Sokka e Zuko discutiam sobre como capturar o diretor, Suki tomou a iniciativa e foi atrás dele por conta própria. Ela correu sobre as cabeças dos prisioneiros da rebelião e escalou as paredes do pátio com uma incrível exibição de acrobacias. Ela incapacitou os guardas que protegiam o diretor, amarrou-o e o amordaçou. Os fugitivos logo se encontraram, com o diretor como seu refém, e seguiram para a gôndola. Ao embarcarem, Zuko quebrou a alavanca para que os guardas não pudessem detê-los.[3]

Batalha na gôndola[]

Mai lutando com os guardas

Mai conseguiu derrotar os guardas das gôndolas antes que cortassem a linha da gôndola.

Quando eles começaram a subir, o grupo viu Azula e Ty Lee se aproximando deles em uma perseguição. Ty Lee correu pelo cabo da gôndola enquanto Azula se impulsionava com dobra de fogo, usando uma algema de um guarda para segurar o cabo. No topo da gôndola, Azula enfrentou Sokka e Zuko, enquanto Ty Lee lutou contra Suki. Ty Lee tentou bloquear o chi de Suki, mas Suki evitou sua técnica e tentou acertar alguns socos em Ty Lee, sem sucesso. Sokka e Zuko lutavam bastante igualados com Azula. Azula e Zuko compartilharam rajadas de fogo, sem que ninguém realmente ganhasse a vantagem. Azula quase encontrou seu destino quando Sokka mirou sua espada precisamente em sua garganta. Ela se esquivou, no entanto, no último segundo. Os cinco continuaram lutando ferozmente até que o diretor conseguiu se libertar de suas restrições enquanto Chit Sang estava distraído. O diretor gritou para os guardas cortarem a linha.

De acordo com o comando do diretor, a progressão da gôndola foi interrompida, a parada repentina fez com que ela oscilasse para frente e para trás, forçando os combatentes a se equilibrarem para salvar suas vidas. Azula e Ty Lee conseguiram pular para outra gôndola, e Azula se despediu vitoriosamente de seu irmão, acreditando ter impedido a fuga e garantido a morte dos passageiros restantes. No entanto, quando os guardas estavam quase terminando de cortar, eles foram incapacitados por Mai. Ela começou a prender os guardas no chão com suas adagas. Um guarda perguntou o que ela estava fazendo, ao que ela respondeu: "Salvando o idiota que me largou." Ela conseguiu liberar a linha e a gôndola usada pelo grupo voltou a se mover. Zuko logo percebeu o que Mai estava fazendo, enquanto Azula e Ty Lee assistiam consternadas.

Os fugitivos logo conseguiram sair do terreno da prisão e deixaram o diretor para trás na gôndola. Suki perguntou o que eles deveriam fazer em seguida, e Zuko percebeu que Azula devia ter um meio de transporte para chegar em Rocha Fervente e logo avistou um dirigível desabitado da Nação do Fogo. O grupo usou o dirigível para escapar da ilha.

Azula com o chi bloqueado

Ty Lee bloqueando o chi de Azula.

Na prisão, Mai foi detida pelos guardas e levada para Azula. Azula exigiu saber por que salvou os fugitivos, pois sabia que Mai estava ciente das consequências. Mai respondeu a Azula que ela havia calculado mal, já que a Princesa do Fogo não havia percebido que o amor de Mai por Zuko era maior do que seu medo por Azula, o que enfureceu profundamente a princesa. As duas estavam prestes a se atacar, mas Azula foi interrompida por Ty Lee, que bloqueou seu chi. Ty Lee e Mai tentaram escapar, mas foram rapidamente capturadas. Azula, com raiva, as chamou de idiotas e ordenou que os guardas as deixassem apodrecer na prisão para que ela nunca mais tivesse que ver seus rostos.[3]

Novos membros[]

De volta ao Templo do Ar do Oeste, Sokka e Zuko saíram de seu dirigível recém-capturado. Aang e os outros comentaram que sua pescaria deve ter sido emocionante. Toph perguntou se eles pelo menos pegaram alguma carne boa, e Sokka respondeu que eles tinham a melhor carne de todas, a carne da amizade e da paternidade. Hakoda, Suki e Chit Sang então saíram do dirigível e se apresentaram aos outros. Katara ficou muito feliz ao ver seu pai e abraçou a ele e a Sokka, enquanto Zuko assistia feliz. No fundo, Toph perguntou: "Sério? Não trouxeram carne alguma?"[3]

Consequências[]

A fuga desempenhou um papel importante no sucesso da Equipe Avatar nas batalhas durante o Cometa de Sozin. Devido à fuga bem-sucedida de Suki, a equipe ganhou um grande membro e participante da batalha na Floresta Wulong, já que Suki ajudou na destruição da frota de dirigíveis do Rei Fênix Ozai e até resgatou Sokka e Toph da morte certa.[1]

A traição de Mai e Ty Lee também teve um efeito profundo na sanidade da Princesa Azula. O evento a deixou em completa paranoia, fazendo-a abrir mão da proteção de seus agentes Dai Li e de seus guarda-costas pessoais. Sua profunda insanidade também afetou sua destreza em batalha e julgamento, permitindo que Zuko lutasse no mesmo nível que ela durante o Agni Kai sob o Cometa e Katara pudesse prendê-la no gelo.[7]

Aparições[]

Avatar: A Lenda de Aang[]

Livro Três: Fogo (火)[]

Referências[]

  1. 1,0 1,1 O Cometa de Sozin Parte 4 - O Avatar Aang. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 21. Nickelodeon. (19 de julho de 2008). Michael Dante DiMartino, Bryan Konietzko (roteiristas) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 A Rocha Fervente - Parte 1. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 14. Nickelodeon. (16 de julho de 2008). May Chan (roteirista) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 A Rocha Fervente - Parte 2. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 15. Nickelodeon. (16 de julho de 2008). Joshua Hamilton (roteirista) & Ethan Spaulding (diretor).
  4. Os Dias Perdidos do Appa. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 16. Nickelodeon. (13 de outubro de 2006). Elizabeth Welch Ehasz (roteirista) & Giancarlo Volpe (diretor).
  5. O Dia do Sol Negro Parte 1 - A Invasão. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 10. Nickelodeon. (30 de novembro de 2007). Michael Dante DiMartino (roteirista) & Giancarlo Volpe (diretor).
  6. O Dia do Sol Negro Parte 2 - O Eclipse. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 11. Nickelodeon. (30 de novembro de 2007). Aaron Ehasz (roteirista) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  7. O Cometa de Sozin Parte 3 - Para o Inferno. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 20. Nickelodeon. (19 de julho de 2008). Michael Dante DiMartino, Bryan Konietzko (roteiristas) & Joaquim Dos Santos (diretor).
Advertisement