Avatar Wiki
Advertisement
Emblema da Nação do Fogo.png


As forças armadas da Nação do Fogo foi a mais poderosa força militar do mundo durante a Guerra dos Cem Anos, obtendo muitas vitórias em batalhas durante o conflito.[1]

O Senhor do Fogo é o comandante-chefe das forças armadas da Nação do Fogo, o que significa que ele mantém a potência total em todos os ramos. Além dele, um seleto grupo de almirantes e generais comandam a Marinha o Exército respectivamente. O Ministro da Guerra desenvolve e fornece tecnologia e equipamentos para as forças armadas da Nação do Fogo e se reporta diretamente ao Senhor do Fogo.

Um grande número de pessoas compreendem as forças armadas da Nação do Fogo, dos quais a maioria são voluntários, ainda que a conscrição ocorra em tempos de guerra. Até o final da guerra, mulheres serviam principalmente em seu território. A Nação do Fogo é a segunda maior potência militar em termos de número de soldados e possui a maior marinha. O militares da Nação do Fogo também possuíam avançados e poderosos equipamentos militares dando-lhe enormes capacidades militares e de projeção de poder. Assim, é muito mais poderoso e avançado do que qualquer outra força militar do mundo.

Exército[]

O Exército de Nação do Fogo é composto por soldados de infantaria tanto Dobradores quanto não Dobradores, estes últimos normalmente usam lanças, espadas e escudos. Durante a Guerra dos Cem Anos, este exército foi o mais forte do mundo, capaz de quase qualquer operação militar terrestre.[1]

História[]

As primeiras colônias[]

Cerca de 37 AG, o Exército da Nação do Fogo exitosamente atacou e ocupou uma região ocidental do Reino da Terra sob ordens do Senhor do Fogo Sozin. Os territórios conquistados foram designados como possessões coloniais e, apesar de Sozin ter tentado conquistar mais terras, seus planos foram interrompidos pelo Avatar Roku, que se opunha à agressão e ao imperialismo. No entanto, o status dessas primeiras colônias não mudou, e eles continuaram a servir como bases de operação para os militares.[2][3]

Guerra dos Cem Anos[]

Senhor do Fogo Sozin preparou suas forças para começar a expansão da Nação do Fogo. No entanto, o Exército da Nação do Fogo acabaria por fazer guerra durante cem anos.[1] Após a morte de Avatar Roku, eles aproveitaram o poder do Cometa de Sozin para destruir os Nômades do Ar, embora não sem sofrer suas próprias baixas contra os adversários de resistência. No entanto, eles não conseguiram matar Avatar Aang, que escapou antes que os Nômades do Ar fossem todos mortos.[4] Depois de destruir uma nação inteira, as tropas de Nação do Fogo começaram a lutar contra as duas nações hostis restantes, As Tribo da Água e o Reino da Terra. Usando as colônias como pontos de partida, destruíram muitas cidades de Reino da Terra nos anos seguintes, devastando o reino ocidental. O exército ganhou muitas batalhas durante esses estágios iniciais da guerra, incluindo a Batalha de Han Tui, a Batalha de Garsai e a infame destruição de Taku.

Após a morte de Sozin e a coroação de Senhor do Fogo Azulon, o exército da Nação do Fogo conseguiu ainda mais vitórias. Cerca de 40 DG, o exército uniu forças com a Marinha do Fogo e atacou a Tribo da Água do Sul, matando ou aprisionando todos os Dobradores de Água que lá viviam, deixando apenas os não-dobradores sofrendo com constantes ataques da Marinha do Fogo durante as próximas décadas.[5] Para o resto do reinado de Azulon, o exército lutou contra o Reino da Terra e conseguiu conquistar a maior parte do seu território ocidental. As tropas de Nação do Fogo deixaram muito sofrimento e destruição em seu rastro.[1]

Seis anos antes do despertar de Aang, o general Iroh liderou o exército ao atacar a capital do Reino da Terra, Ba Sing Se em um cerco de seiscentos dias. O exército destruiu o Muro Exterior e atacou a Zona Agrária, apenas para recuar quando Iroh abandonou o cerco depois que os Dobradores de Terra mataram seu filho, o Príncipe Lu Ten.[6] Este ataque falhado desonrou Iroh nos próximos anos. No entanto, foi a primeira vez que um exército conseguiu romper as paredes de Ba Sing Se, algo que até mesmo os exércitos anteriores não tinham conseguido. Portanto, o cerco teve um grande impacto sobre o moral de ambos os exércitos de combate - enquanto a moral do exército de Nação do Fogo foi impulsionada, os soldados de Reino da Terra enfrentaram um choque terrível.[1]

Durante o ano em que o Avatar Aang acordou do iceberg, ou seja, o final de 99 DG, o Exército de Nação do Fogo preparou várias ofensivas maciças para acabar com a já desmoronando resistência do Reino da Terra e da Tribo da Água do Norte. No entanto, em torno desta época e devido ao envolvimento da Equipe Avatar, rebeliões dos dominadores de terra e civis de Reino da Terra em territórios ocupados começaram a ocorrer. Depois que vários Dominadores de Terra presos conseguiram escapar de uma plataforma de prisão da Nação do Fogo, eles formaram uma milícia e começaram a lutar contra o exército em uma guerrilha na costa oeste de Reino da Terra. Outro obstáculo para o domínio da Nação do Fogo que surgiu no reino ocidental foram os Lutadores da Liberdade, um grupo de guerrilha determinado a livrar o mundo de todos os criminosos. Enquanto o último foi dissolvido após uma briga com a mais moderada Equipe Avatar, o primeiro permaneceu ativo até o verão 100 DG. O exército enfrentou dificuldades consideráveis ​​na caça a essas guerrilhas e minimizou os danos que causaram à logística, infraestrutura e colônias.

No início de 100 DG, o exército tentou conquistar o Templo do Ar do Norte pela segunda vez, já que os refugiados locais que viviam no templo se opuseram à autoridade da Nação do Fogo. O exército empregou centenas de soldados de infantaria e um contingente de tanques para dominar os defensores em sua quase impensável fortaleza de montanha, acessível apenas por um único caminho. Apesar da considerável resistência dos refugiados, suas forças aéreas e a Equipe Avatar, os tanques logo chegaram às paredes do templo. A batalha finalmente acabou em uma derrota, no entanto, como os defensores, em um último ato desesperado, causaram intencionalmente uma enorme explosão de gás natural sob o templo; Tanto as falésias quanto o caminho para o templo foram destruídos, enquanto quase todas as forças de Nação do Fogo foram mortas na explosão. O confronto não foi uma perda completa, já que o ministro da Guerra Qin, descobriu um balão de ar quente abandonado durante a batalha, tecnologia que daria à Nação do Fogo uma grande vantagem durante os estágios finais da guerra.[7]

Mais tarde, o almirante Zhao lançou uma força de invasão maciça para atacar a Tribo da Água do Norte no que agora é conhecido como o Cerco do Norte. Milhares de soldados e dezenas de tanques atacaram a capital da Tribo da Água, mas encontraram Dobradores de Água extremamente poderosos que defenderam a cidade.[8] Quando Zhao matou o Espírito da Lua, o exército de Nação do Fogo obteve o controle total da cidade, mas eles foram aniquilados pelo Avatar Aang quando ele se tornou um com o poderoso Espírito do Oceano. Todos os sobreviventes restantes se retiraram, enquanto Zhao foi preso no Nevoeiro das Almas Perdidas no Mundo Espiritual.[9] O espírito da Lua foi logo restaurado devido ao sacrifício de Yue e a Tribo da Água foi salva.[10]

Algum tempo depois, o exército de Nação do Fogo conquistou a cidade de Omashu no Reino da Terra e prendeu o rei Bumi e em seu lugar assumiu um dos governadores de Nação do Fogo. Apesar da resistência de Omashu, as forças da Nação do Fogo tiveram um forte controle na cidade. Com a queda de Omashu, mais tarde renomeado Nova Ozai, o Exército da Nação do Fogo ocupou quase todos os territórios oeste e norte de Reino da Terra.[11] Alguns meses depois, após um golpe de Estado bem sucedido liderado pela princesa Azula e o Dai Li, o Exército da Nação do Fogo ocupou Ba Sing Se, finalmente conquistando a capital do Reino da Terra.[12]

O exército da Nação do Fogo foi deixado no controle quase completo do Reino da Tera com a queda de sua poderosa capital e a derrota de Avatar Aang. No entanto, mesmo com Ba Sing Se no seu controle, o Exército da Nação do Fogo foi encontrado com uma resistência determinada que ameaçou o domínio do exército do país, mesmo repelindo o exército em territórios de importância secundária. No dia do Sol Negro, o exército de Nação do Fogo sofreu uma esmagadora derrota quando o rei Bumi saiu da prisão em Omashu e aproveitou a incapacidade temporária dos Dobradores de Fogo de para libertar sua cidade sozinho. As tropas do exército da Nação do Fogo e os tanques da tundra lutaram desesperadamente, mas em vão contra o desertor Jeong Jeong durante a libertação de Ba Sing Se.

A derrota final do Exército de Nação do Fogo veio com a libertação de Ba Sing Se no retorno do Cometa de Sozin, quando a Ordem do Lótus Branco assaltou a cidade e esmagou as forças de ocupação com suas avançadas Artes de Dobra. A derrota do Senhor do Fogo Ozai na batalha concorrente na floresta de Wulong e a queda de Azula durante um Agni Kai com seu irmão efetivamente garantiu a rendição do Exército da Nação do Fogo.

Com o fim da Guerra dos Cem Anos, Zuko foi coroado o novo Senhor do Fogo, anunciando a paz mundial, enquanto o exército, agora sob seu controle, retirou-se dos territórios ocupados em todo o mundo. Esta ação fez com que muitos militares abandonassem suas ocupações e partissem por conta própria[13]

Notas e referências[]

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 Por todo Avatar: A Lenda de Aang.
  2. Aprisionados. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 6. Nickelodeon. (25 de março de 2005). Matthew Hubbard (roteirista) & Dave Filoni (diretor).
  3. Predefinição:Citar comic
  4. A Tempestade. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 12. Nickelodeon. (3 de junho de 2005). Aaron Ehasz (roteirista) & Lauren MacMullan (diretor).
  5. A Manipuladora de Fantoches. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 8. Nickelodeon. (9 de novembro de 2007). Tim Hedrick (roteirista) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  6. Zuko Sozinho. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 7. Nickelodeon. (12 de maio de 2006). Elizabeth Welch Ehasz (roteirista) & Lauren MacMullan (diretor).
  7. O Templo de Ar do Norte. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 17. Nickelodeon. (4 de novembro de 2005). Elizabeth Welch Ehasz (roteirista) & Dave Filoni (diretor).
  8. O Cerco do Norte Parte 1. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 19. Nickelodeon. (2 de dezembro de 2005). Aaron Ehasz (roteirista) & Lauren MacMullan (diretor).
  9. Cai a Escuridão. A Lenda de Korra. Temporada 1. Episódio 25. Nickelodeon. (22 de novembro de 2013). Joshua Hamilton (roteirista) & Colin Heck (diretor).
  10. O Cerco do Norte Parte 2. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 20. Nickelodeon. (2 de dezembro de 2005). Aaron Ehasz (roteirista) & Dave Filoni (diretor).
  11. Retorno à Omashu. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 3. Nickelodeon. (7 de abril de 2006). Elizabeth Welch Ehasz (roteirista) & Ethan Spaulding (diretor).
  12. O Despertar. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 1. Nickelodeon. (21 de setembro de 2007). Aaron Ehasz (roteirista) & Giancarlo Volpe (diretor).
  13. Predefinição:Citar comic

no:Ildnasjonens militære

Advertisement