Avatar Wiki
Advertisement
Emblema da Nação do Fogo.png


Este artigo é sobre a arma. Para o episódio, consulte "A Passagem da Serpente".

A broca da Nação do Fogo foi uma maciça broca hidráulica projetada para penetrar nos muros "impenetráveis" de Ba Sing Se, permitindo que a Nação do Fogo conquistasse a capital do Reino da Terra e, finalmente, ganhasse a Guerra dos Cem Anos. Esta operação foi supervisionada pela Princesa Azula e o Ministro da Guerra Qin na batalha da broca e fracassou devido a intervenção da Equipe Avatar.[1]

História[]

O mecânico fez os planos para a broca.

A broca foi originalmente projetada pelo mecânico no Templo do Ar do Norte, que foi forçado a inventar e construir novas armas para a Nação do Fogo sob a ameaça de destruição do templo.[2] Os trabalhadores da Nação do Fogo levaram mais de dois anos para construir, e eles o fizeram nas margens do lago oeste da Passagem da Serpente.[3][4]

Após a conclusão da broca, o Ministro da Guerra Qin e a Princesa Azula lideraram pessoalmente um grande ataque a Ba Sing Se de dentro da broca, usando a grande máquina em uma tentativa de romper a Muralha Externa da cidade. Aang percebeu o ataque quando ele voou para Ba Sing Se para encontrar seu animal de estimação perdido. O Avatar e seus amigos se reuniram e ofereceram ao General Sung sua ajuda para impedir a ameaça. O General recusou-se a princípio pois havia enviado a Equipe Terra, um pelotão de elite de habilidosos dobradores de terra, para interromper o avanço da broca. Embora tenham conseguido derrubar vários tanques tundra que escoltavam a broca, eles foram rapidamente neutralizados por Mai e Ty Lee. Antes que eles tivessem tempo de reagir, Ty Lee usou seu bloqueio de chi para desarmar toda a equipe, deixando o muro vulnerável e desprotegido. A derrota de sua equipe de elite incitou Sung a aceitar a ajuda do Avatar.

A sala de controle da broca foi ocupada pelo Ministro da Guerra Qin, Princesa Azula, Mai, Ty Lee e vários outros.

Sokka elaborou um plano para destruir a broca por dentro depois de ouvir a explicação de Katara sobre como eram os efeitos do bloqueio de chi. Enquanto Toph tentava desacelerar a perfuração por fora usando uma coluna de terra, Aang, Katara e Sokka se infiltraram na máquina. Usando esquemas que roubaram de um engenheiro, eles descobriram que a casca externa era sustentada pelo uso de várias vigas grandes conectadas ao motor e começaram a destruí-las. A broca fez contato com a Parede Externa e conseguiu abrir um buraco na barreira antes que o grupo pudesse sabotar as vigas e destruir a broca. O grupo acelerou as coisas cortando apenas parcialmente as vigas com dobra de água, de modo que a proteção desabaria quando Aang desferisse o golpe final no topo da máquina.

A broca foi capaz de penetrar levemente na Parede Externa de Ba Sing Se.

Azula, Mai e Ty Lee finalmente descobriram e tentaram impedir a equipe de danificar ainda mais a broca. Azula enfrentou Aang no topo da broca enquanto Ty Lee e Mai perseguiam Sokka e Katara. Os irmãos escaparam pelo duto de massa da furadeira, embora Mai tenha escapado quando a lama a enojou. Para manter Ty Lee afastada, Katara e Toph dobraram a lama, forçando-a de volta ao motor junto com Ty Lee e aumentando a pressão dentro da carcaça. A batalha no topo da broca entre Azula e Aang foi interrompida quando parte da lama estourou na frente da broca e derrubou os dois combatentes. Aang se recuperou mais rápido e enfiou uma cunha de terra na casca externa na ausência de Azula, fazendo com que as vigas de suporte se desalojassem e a proteção desabasse. A pressão acumulada e o golpe final de Aang fizeram com que a broca explodisse em uma bagunça de terra quando os tubos de massa estouraram, parando o mecanismo completamente.[1]

Os restos da broca foram fechados por uma parede de terra.

A broca ficou presa na parede, bloqueando a única rota da Nação do Fogo para Ba Sing Se.[1] Após sua destruição, a broca permaneceu alojada na Parede Externa, envolta por uma parede temporária de terra. Quando a Equipe Avatar tentou convencer o Rei da Terra Kuei de que Long Feng e o Dai Li haviam escondido dele a guerra de um século, eles levaram o rei aos restos da broca, provando que havia uma conspiração dentro da cidade.[5]

Design[]

Estes são os esquemas da broca.

A broca era enorme, maior em tamanho do que algumas aldeias, tendo pelo menos uma ou duas milhas de comprimento, tornando-a a maior máquina móvel conhecida no mundo. Devido ao seu tamanho incrível, na verdade ele abrigava uma brigada inteira de engenheiros da Nação do Fogo, necessários para fazer reparos e limpar os oleodutos. Várias vigas de suporte de metal conectavam a casca externa protetora da broca ao motor interno. Rolando em enormes esteiras de tanques, a broca moveu cada uma de suas seções em um movimento semelhante a uma onda semelhante a uma minhoca, usando picos enormes, voltados para trás, movidos a energia hidráulica para fornecer tração e ajudar a arrastar a máquina gigantesca para frente. Conforme a broca cavou em uma estrutura de terra, a rocha foi mastigada e transformada em lama, uma mistura de rocha e água que foi dispensada em canos e despejada pela parte traseira da broca. A lama servia a três propósitos importantes: limpar o material, lubrificar a broca e reduzir o calor causado pelo atrito com a rocha, que poderia fazer com que a ferramenta falhasse ou mesmo derretesse.[1][3]

Conexão[]

A broca tem construção e função semelhantes a uma tuneladora, com a diferença de que a tuneladora não é feita para guerra, mas para construir túneis para o tráfego, muitas vezes para trens. Embora só possa perfurar em solo duro e seja muito lenta e cara, é muito mais seguro do que criar túneis da maneira tradicional, com o uso de mão de obra.

A máquina também tem uma semelhança com a Ritter Midgard-Schlange, uma máquina de guerra nazista de 524 metros de comprimento projetada para romper fortificações inimigas na Segunda Guerra Mundial, mas nunca foi construída.

Trívia[]

  • A broca incluiu um pavilhão de elevação para ocupantes, como Azula e o Ministro da Guerra Qin, para supervisionar a operação. Canos foram usados ​​para se comunicar do pavilhão com o resto da máquina.
  • A broca motorizada usada pelos cidadãos do Reino da Terra na batalha por Yu Dao era uma versão menor desta broca.

Referências[]

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 A Broca. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 13. Nickelodeon. (15 de setembro de 2006). Michael Dante DiMartino, Bryan Konietzko (roteiristas) & Giancarlo Volpe (diretor).
  2. O Templo de Ar do Norte. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 17. Nickelodeon. (4 de novembro de 2005). Elizabeth Welch Ehasz (roteirista) & Dave Filoni (diretor).
  3. 3,0 3,1 Do antigo site oficial de Avatar: A Lenda de Aang, originalmente em Nick.com. Em inglês; já não mais atualizado, nem disponível. Enciclopédia arquivada em aqui. The Lost Lore of Avatar Aang - Gear: Fire Nation drill.
  4. A Passagem da Serpente. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 12. Nickelodeon. (15 de setembro de 2006). Michael Dante DiMartino, Joshua Hamilton (roteiristas) & Ethan Spaulding (diretor).
  5. O Rei da Terra. Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 18. Nickelodeon. (17 de novembro de 2006). John O'Bryan (roteirista) & Ethan Spaulding (diretor).

Veja também[]

Advertisement