Avatar Wiki
Advertisement
Emblema do Reino da TerraEmblema espiritual


A árvore baniana é uma única e enorme árvore em pé no meio do Pântano Nebuloso com um sistema radicular que se estende por muitos quilômetros. As raízes da árvore têm mais de propagação do tempo através da totalidade do pântano, e criou galhos que criou uma floresta inteira de árvores novas. Em 100 DG, a árvore bosque-figueira e o pântano eram protegidos pelo dominador de água do pântano nebuloso, Huu, que alegou ter atingido a iluminação sob seus ramos.

História[]

Após um estranho tornado ter feito Appa cair no pântano, Aang, Sokka e Katara foram separados de seus companheiros animais. À noite, o trio foi emboscado por vinhas em movimento, os fazendo ficar separados uns dos outros também. Passeando pelo pântano misterioso, cada um começou a ter alucinações. Na sequência das suas alucinações, todos eles foram "trazidos" para o coração do pântano, diretamente pela copa principal da árvore baniana e seu tronco.

Arquivo:200px-Aang using the vines' connection.png

Aang encontrando Appa e Momo usando a conexão do Árvore bosque-figueira com o Pântano

Quando a mente científica de Sokka o levou a contradizer a declaração de Aang que era a árvore que tinha chamado para o seu tronco, eles foram atacados por vinhas vivas na forma de um humanoide monstruoso gigantesco com uma máscara no centro. Depois de derrotar este "monstro do pântano", descobriu-se que as vinhas eram controladas por um Dobrador de Água chamado Huu. Quando Huu descobriu que Aang era o Avatar, ele convidou as crianças para segui-lo até a base da Bosque Figueira. Durante sua caminhada, Huu explicou que o pântano era um lugar sagrado e místico e que ele tinha chegado a iluminação sob a árvore. Ele mostrou a Equipe Avatar que o pântano era apenas uma grande árvore que esta se espalhou ao longo de quilômetros, afundou-se, criou raízes e, em seguida, se espalhou um pouco mais. Ele usou a árvore como um exemplo para ensinar que o mundo, assim como o pântano, é um grande organismo vivo onde tudo estava ligado.

Usando este conhecimento recém-adquirido, Aang usou a conexão da árvore com o pântano em torno dele para encontrar Appa e Momo. O jovem avatar colocou a mão na raiz da árvore e focou; suas tatuagens brilharam e um raio de energia viajou através do sistema radicular, permitindo metafisicamente a Aang se conectar com o seu entorno e localizar seus companheiros peludos no pântano.

Conexão[]

Árvores banianas são uma das variadas figueiras que crescem em regiões tropicais do globo. Enquanto algumas espécies são independentes, outras precisam de uma árvore hospedeira, que deu a planta a alcunha de "trepadeira estranguladora". Árvores mais velhas lançam brotos dos galhos em direção ao solo, onde se agarram e propagam novos troncos lenhosos, conectados à árvore original; desta forma, algumas espécies podem crescer em vários hectares. Em muitas sociedades tradicionais, a figueira-da-índia é usada como um ponto de encontro ou um marcador para o centro de uma aldeia e, em partes do sul da Ásia, é considerada sagrada, especialmente em áreas de influência hindu como a Índia, onde a figueira é a árvore nacional como bem como no Sri Lanka, Bangladesh e Bali. A árvore Bodhi, foi onde Buda alcançou sua iluminação.

Árvores de mangue, como o gênero Rhizophora, são plantas pantanosas conhecidas por sua tenacidade e pelas complexas microecologias criadas por seus sistemas de raízes difundidos

Advertisement